Música performance poética

Numa das direções possíveis e talvez menos comum, há uma imensa margem que conecta o mundo em música além do som, essa margem talvez seja o observar, mas também pode ser o sentir ou mesmo o expressar. Nesse imenso encontro de beiras e na divisa de estar inteiro, a jovem curitibana Ísis Odara performa entre poema, música e corpo em seu novo trabalho autoral após sua primeira experiência na vivência de YANAY.

Ísis é escritora, poeta, compositora e relaciona suas obras em artes visuais. Usuária andante da cidade, coleta seus fragmentos e captura poesia para extravasar em roteiro performático seu tempo de vida, sensações e suas flexões de intensidades. Telúrica é retorno para um novo ciclo, uma reconexão de lugares, sensações e experiências do entre. Como está na essência de Ísis, a parceria desse álbum performático também nasceu do encontro e da vivência com seu amigo e produtor musical e visual de Telúrica, o elogiado Vinícius Nisi.

Nisi, carinhosamente conhecido por grande meio dos contemporâneos da música brasileira não perde sua natureza: a originalidade, capricho e o convite para novas formas de experiênciar a música estão mais que presentes nesse disco, estão marcadas na sincronia entre música, imagem e emoção. O primeiro registro do trabalho foi feito performativo em home studio, nos estudos de elementos e climas. Mas, as audições propuseram um novo registro ao vivo, integral, a beira do Rio Atuba, uma das margens que cruzam a história e conta um pouco do universo de sensações e reflexões da vida que correm através do corpo e vida da jovem artista.

Deixe uma resposta