Música que chama pra brincar

Eles começaram contando histórias e nelas a música, cada vez mais presente, ajudava a abrir portas para o encantamento. Essa presença foi ganhando espaços e se espalhou de um jeito que as histórias viraram canções. Assim nascia a OssoBanda, pra cantar e encantar todas as idades.

Composta pela vocalista Teresa Saci, o baixista Marcelo dos Anjos, Erickson Freitas na guitarra e Esdras Cabral na bateria, a banda paulista tem feito grandes e pequenos balançarem o esqueleto! E ter participado de um Festival de Rock – porque esse ritmo é a marca do som da banda – resultou no nome escolhido: OssoBanda! Que tem o Ossinho como mascote!

Desde 2013, o grupo vem agitando mais e mais lugares, atraindo gente de todas as idades com suas canções cheias de poesia, belas melodias e uma contagiante alegria. Os arranjos são bem pensados e consideram a importância de trazer o melhor para a criança ouvir, brincar e se movimentar em diferentes ritmos. A palavra, trabalhada plasticamente em suas muitas possibilidades de composição e de construção de sentidos, vira brinquedo ou brincadeira por meio de diferentes recursos: repetição de sons, rima, agrupamentos inusitados de palavras entre outros.

Então, quando a música começa, é dada a largada para a diversão. É o que acontece em “Bonde da OssoBanda”, quando a batida irresistível do rock chama pra dançar e cantar “Quero ver ficar parado/ quero ver ficar quieto/ é o bonde da OssoBanda/ balançando o esqueleto”.

Já na suave canção “Maria Fumaça”, o ritmo é outro. Lembra o movimento do trem, ora mais lento, ora mais rápido (“O nome é de menina, maria fumaça/ saindo da praça…/ chique chique, o que é que tem/ depois da curva da montanha?”). A construção dos versos brinca com a sonoridade das palavras além de aguçar a curiosidade e a imaginação: o que pode haver pra lá da montanha? O que cada um quiser! Outros versos ainda desconstroem o lugar-comum: “sim salabim, tem gato comendo capim/ como pode, como pode/ pedaço de gente com pedaço de bode/ cachoeira correndo pra cima/ lobo bom porco mau/ urubu fazendo sarau”. Além de divertidas e inusitadas, essas imagens permitem outro olhar, outro jeito de entender e de fazer as coisas. Afinal, que graça tem receber tudo pronto ou ver tudo sempre igual?

Outra super sacada da banda foi a escolha da palavra “sábado” em “Hoje é sabadábado”. A canção brinca com a montagem da palavra, sugerindo que esse dia da semana é dia de ficar à vontade, de fazer o que quiser, até mesmo reinventar a própria palavra: “ficar dois dias inteiros com a mesma roupa/ porque hoje é sábado/ badabado/ badabado, badá/ hoje é sábado”.

Esse cuidado e respeito em relação ao universo da infância traduz o entendimento da importância da música na vida desse público. Entre seus inúmeros benefícios, ela ativa a curiosidade e a imaginação, diverte e emociona. Por isso, vale trazer diferentes gêneros e estilos musicais para que a criança conheça, possa transitar entre eles, apreciar e até se identificar mais com uns que com outros.

Assim, além de divertir, a OssoBanda cumpre a relevante função de ampliar o repertório sonoro e poético dos pequenos (e também dos grandes), o que torna sua produção artística ainda mais especial e merecedora de reconhecimento. Diante disso, dá pra ficar parado e quieto?

Tudo sobre a OssoBanda aqui ó: http://www.ossobanda.com.br

Deixe uma resposta