Samico (2019)

Quando observei esse nome em nossa caixa de email eu pensei: vou ouvir já. Daí minhas queridas, foi só explosão de referências e as sinapses reativando loucamente a minha paixão pela música nordestina. Samico, figura quase indissociável da vanguarda expressiva na moderna nordestina assina trabalhos desde a Play Damião, que depois se transformou em Mombojó, Di Melo, Lula Queiroga, Barro, Igor de Carvalho, e queridos, muitos mais para além do música e também teatro.

Não deu outra, após mais de dez anos maturando seu primeiro álbum homônimo, Samico explode referências e comunga sua originalidade conectando sua história, referências e parcerias. Uma celebração digna e cuidadosa ao seu tempo, precioso, respeitoso, oferecendo horizonte cada vez mais infinito e absurdo, demarcando a força e com amor o que seus artistas vão conquistando a chão, sol e poesia. Tudo Pode Ser.

FICHA TÉCNICA DO ÁLBUM:
Produzido por Rogério Samico.
Direção Musical: Carlinhos Borges
Gravado, e mixado no estúdio Carranca e no estúdio Casa de Mãe no período de Janeiro de 2016 a Agosto de 2018.
Masterizado por Felipe Tichauer (Redtraxx)
Técnicos de gravação: Bruno Lins, Jorge Romão, Júnior Evangelista, Vinicius Aquino
Técnico de mixagem: Junior Evangelista
Assistentes de gravação: Leandro Lima, Neto Alves, Marco Melo
Co-produção musical: Iuri Brainer, Barro, Jam da Silva, Moacir Torres, Luccas Maia e Guilherme Assis.
Arranjos de Sopros por Parrô Melo nas faixas: “Solto no tempo”, “Outro Mar”, “Daqui a pouco” e “Dois olhos”.
Ilustrações de Raoni Assis

Deixe uma resposta