uma mulher xamada atuba

poezia canal às margens do rio atuba
kurytyba, pyndorama, abya yala, “2019”

telúrica
poesias y voz por ísis odara
produção musical y visual por vinícius nisi

uma mulher chamada atuba (ísis odara)

preste atenção
não é tão simples assim
a partir de agora será tudo
muito simples
é muito provável que nos percamos
em meio a leitura do enunciado ou
no giro tectônico das moedas
de cinco centavos
é muito provável que esqueçamos
do grande insight recebido através
da refração da luz rebatida no
espelho retrovisor de algum
monza bordô 94
para dentro de nossos corpos
y para dentro dos corpos das crianças
vendedoras de balas
no dia de são cosme y damião
é muito provável também
que o gatilho se suspenda
no momento em que o amor 
y as onças pintadas de ouro
y jenipapo
escaparem de suas jaulas
para dançarem no mesmo bloco
y para dormirem debaixo
da mesma oca
lembremos das bandeiras que não terminam 
em ângulos retos
y lembremos também 
que os trevos de três folhas
importam mais que a sorte
lembremos sobretudo 
de encostarmos as orelhas
na pele das escarpas y
de ouvirmos atentamente
a respiração dos curumins
enquanto sopram a nascente
com as mãos em concha
enquanto surfam em vitórias-régias
para lá dos golpes prescritos nas bulas
para lá dos estilhaços sujos da lama escute
o coração
é o único saguão principal
que importa
tum tum
tum tum
tum tum
tum tum

Deixe uma resposta